17 março 2007

Mar azul

É verdade, este também é o nosso mar. Tres milhas a oeste do Furadouro.

05 março 2007

01 março 2007

5º Festival do arroz e da lampreia

O Arroz e a Lampreia
Não existe consenso por parte dos historiadores quanto a origem da
introdução do arroz em Portugal Frei Francisco Brandão, na obra
Monarquia Lusitana, publicada em 1750 aponta para a possível
existência de arrozais já no reinado de D. Dinis, nomeadamente nos
terrenos alagadiços situados a sul de Montemor o Velho.
Também desde há longos séculos que os documentos referem a
existência da lampreia nas águas do Mondego e, na Idade Media a sua
captura através dos caneiros era precisamente um dos muitos
privilégios que o Rei exigia para si. Ficaram na história alguns litígios com
os pescadores de Montemor, pelo facto de lançarem armadilhas,
capturando-as antes de entrarem nos caneiros reais. As sanções
endurecem de tal ordem que, em 1423, D. João I determina que o
infractor fosse enforcado "pollo papo"!

O arroz carolino do Vale do Mondego
Para os leigos, o arroz é todo igual, branco, esguio, um simples alimento.
Mas em Montemor o arroz carolino do Vale do Mondego é especial. Com
uma longa tradição que lhe confere uma maior qualidade, este arroz é
simultaneamente versátil e ecléctico. De grão longo e arredondado, o
arroz carolino adequa-se como nenhum outro à gastronomia tradicional,
à culinária inovadora ou a gastronomia de outros países (arroz à pilaf, p.
ex.). Tanto se cozinha solto como malandrinho, podendo ser utilizado em
sobremesas uma vez que adquire facilmente os sabores e aromas dos
outros ingredientes.